Folhetim: um fenômeno literário

E-book Folhetim: um fenômeno literárioDesde sempre a humanidade tem necessidade de contar histórias, que podem ser reais ou imaginárias (ficção). Nos primórdios da humanidade, os homens das cavernas pintavam suas paredes, os gregos deram vida à mitologia e o folclore de todos os lugares tem lendas fabulosas para serem narradas. Veio a prensa, inventada por Gutemberg e com ela essa necessidade ganhou impulso, já que agora era possível imortalizar as histórias, com o uso de mais um recurso além da transmissão oral. Tudo podia ser transposto para o papel, com inúmeras cópias. Mas ironicamente, até meados do século XIX, poucos tinham acesso à nova tecnologia devido aos baixos índices de alfabetização e à dificuldade de levar livros e jornais a diferentes lugares. A palavra oral continuava sendo o maior canal de transmissão.

Paradoxalmente, o gosto pelo mito e o imaginário encontrou um espaço fértil para se desenvolver, particularmente a partir do século XIX, e se o sucesso do mito vem da Grécia Antiga, o folhetim nasceu na França, numa época em que aquela sociedade passava por mudanças radicais como adiante veremos. (Faça o dowload do E-book Folhetim: um fenômeno literário. Clique E-book_folhetim)

Várias inovações tecnológicas situadas no período instantaneamente anterior ao surgimento dos romances de folhetins; melhores condições de impressão, facilidade de locomoção, através de estradas de ferro, além da crescente alfabetização da população francesa, iria propiciar a propagação do folhetim. Este tipo de narrativa remonta à tradição literária do século XIX, período em que a oposição entre a cultura da elite (das classes abastadas) e cultura popular (basicamente de origem camponesa) é quebrada pela produção dos folhetins , ou feuilleton – narrativa adaptada ao gosto médio do público leitor. A atividade literária não só passa a ser um negócio, como também evoluirá numa ‘indústria’ para todos os ocupados na sua produção. A relação da literatura com a imprensa diária tem um efeito revolucionário e passa a influenciar praticamente os escritores da época e conseqüentemente toda a produção literária; atravessará os mares e fomentará um novo público leitor, que não esconderá seu entusiasmo pelo desenvolvimento das histórias, seduzidos pela sucessão de acontecimentos trepidantes, pelas emoções desenfreadas, pela linguagem acessível e pela ausência de qualquer abstração intelectual.

É sobre este fenômeno literário que o presente trabalho irá se deter, contribuindo, assim, para divulgar algo tão presente na nossa cultura, mas muitas vezes ignorado: o folhetim.




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Quando a maravilha das palavras e sentimentos poder tomar um rumo, quando é o leitor quem se delicia com estas palavras, sem dúvida alguma algo tão pequeno torna-se grande e algo assim como o folhetim consegue dar vida as palavras!!!

Gostei muito desse texto e vou usá-lo em meu trabalho da escola!

Comente este artigo

(obrigatório)

(obrigatório)